28 de setembro de 2015

Entrevistando Um Nacional: Dêner B. Lopes

Boa tarde pessoal!

Uma vez por mês, farei uma entrevista com um autor nacional.

E o primeiro autor é Dêner B. Lopes. Seu livro de estreia, Cidades-Mortas, foi publicado pela Chiado Editora em Portugal e no Brasil.

Uma característica que gostei muito do livro é por ele ser de capítulos curtos e rápidos, coisa que acaba facilitando a leitura. 

Aí você vai naquele de: “só mais um capítulo” e quando vê já está praticamente no final do livro.  Para conhecerem um pouquinho mais de Cidades-Mortas, deixo aqui a sinopse:

"Cada uma das 10 Cidades da nação de Lisarb escolherá, por meio de voto dos habitantes, um casal de jovens entre 15 e 18 anos para o Festival das Cidades-Mortas.
Os 20 Eleitos serão encaminhados para a Cidade-Morta selecionada, onde serão confinados e terão que escapar dos soldados-robôs que irão se dispersar pelo local, com claras intenções de morte lenta.
Todos aqueles que conseguirem sobreviver até o final das duas semanas de confinamento, terão a honra de fazer dois pedidos, possíveis e aprovados pelo Presidente, é claro.
As seleções começarão no dia primeiro do último mês do ano e o Festival terá início no dia terceiro após os Eleitos serem anunciados.
O confinamento será acompanhado por toda Lisarb por meio da TV aberta durante todos os dias do Festival, ao fim das noites.
Aos Eleitos, com toda a verdade, desejamos sorte e, acima de tudo, coragem.
David Neil e Boris Alvimar (Diretor da Emissora RGS-14 e Presidente da República)
Em seu romance de estreia, Dêner B. Lopes traz ao leitor mais que um Jovem-Adulto distópico. Mostra de uma maneira fria e imparcial até onde as pessoas vão para conseguir impôr suas opiniões e o que fazem para conseguir sobreviver a uma caçada mortal."
1) Da onde veio a inspiração para escrever C-M? 
 R: Foi em uma madrugada ociosa. Eu estava no eu quarto assistindo a um filme de robôs, de nome "Os Substitutos" e fiquei bem interessado na premissa da história. Entrementes, estava findando a leitora de uma das minhas trilogias favoritas: Jogos Vorazes, juntamente com o livro "O Concorrente", de Stephen King (também uma distopia sobre reality shows brutais). A ideia do Cidades-Mortas se formou quase que do nada na minha cabeça. Quando dei por mim já estava anotando tudo que minha mente produzia. Na mesma madrugada iniciei o processo de escrita, que durou exatos 90 dias.


2) Qual foi a maior dificuldade que você encontrou para publicar C-M?
R: Dificuldade.... Nenhuma que eu me lembre. 


3) Como foi o processo de publicação? 
 R: Não tão trabalhoso que achei que seria. Eu simplesmente mandei para algumas editoras e esperei a resposta. A Chiado se interessou prontamente, e não mais que duas semanas após eu já estava com o contrato de edição em mãos. Tão rápido quanto, já estávamos (o editor e eu) avaliando as provas de capa que nos eram enviadas.


4) Algum personagem do livro tem alguma característica sua? 
R: O Arthur, com certeza. É o único que possui características minhas. Algumas de infância (como o medo de tudo e o quão triste me sentia por não ter amigos). Mas ele se torna um personagem ímpar por isso. Assim como ele, conforme o tempo foi passando, consegui vencer o medo das coisas e ser mais forte e seguro ao tomar decisões importantes. 


5) Quando será publicada a sequência? Poderia nos contar um pouco sobre a continuação? Os personagens serão os mesmos do primeiro livro? 
 R: Possivelmente no primeiro semestre do próximo ano. Já está tudo certo para a publicação. Estou reescrevendo algumas partes da história e depois vou dar aquela boa revisada de praxe ante de mandar para o editor. Quanto aos personagens... SEGREDO DE ESTADO (risos).


 6) Qual seu (sua) autor (a) favorito (a)? Qual deles te inspiram mais?  
R: Minha inspiração é e sempre será J. K. Rowling. Suas histórias (de vida e ficcionais) sempre me deixam muito orgulhoso de tê-la como modelo de inspiração, não só para minha carreira de escritor, mas para a vida.


7) Você está organizando uma antologia chamada “Phantasia”, da Editora Venus. Como está sendo esse processo de organização?  E qual será a data de lançamento da Antologia? 
R: Está indo morosamente, mas acompanhado cheio de atenção. Os contos que recebi e estou avaliando são incríveis. É bom saber que uma editora confia em você como escritor a ponto de convidá-lo a organizar uma antologia com apenas 20 anos. E mais gratificante ainda ter outra editora me convidado para organizar outro projeto especial para o próximo ano.


8) Quais dicas você dá para escritores iniciantes e que querem entrar no mercado literário agora?
Dica Nº 1: seja paciente.
Dica Nº 2: um pouco mais paciente.
Dica Nº 3: mais um pouquinho...
Dica Nº 4: nunca. NUNCA desista ou ache que você nunca chegará aonde quer chegar. Principalmente jovens escritores. Foco. E, o mais importante de tudo: tenha amor à literatura.

 Bom, é isso! Gostaria de agradecer ao Dêner por ter respondido as perguntas acima e pra quem se interessou e quiser adquirir o livro, é só chamar ele no facebook que você pode comprar autografado e com dedicatória. 
Link: https://www.facebook.com/DenerBLopes 

Comente pelo Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário